EU OPTEI SER CATÓLICO

10.11.2020

EU OPTEI SER CATÓLICO Meus amados, diante de tantas inversões da fala do Papa Francisco que disse que os homossexuais tem o direito de estar em família, é preciso que eu me posicione sobre este assunto. Quando me ordenei sacerdote, aceitei a obedecer a liderança dos Papas e Bispos da Igreja que sigo e sirvo […]

EU OPTEI SER CATÓLICO

Meus amados, diante de tantas inversões da fala do Papa Francisco que disse que os homossexuais tem o direito de estar em família, é preciso que eu me posicione sobre este assunto.

Quando me ordenei sacerdote, aceitei a obedecer a liderança dos Papas e Bispos da Igreja que sigo e sirvo como padre. Desde minha infância eu optei por ser católico.

Nasci num lar católico, cresci num lar católico e pela graça de Deus, fui consagrado padre católico. Cada qual segue a ideologia, a igreja ou o partido no qual crê e ao qual obedece.

Eu sigo as normas e regras da Igreja Católica, com os catecismos que nos orientam sobre a Doutrina Social.

E se alguém escolheu ir contra o Papa ou contra a CNBB, não conte comigo. Acredito no diálogo na minha Igreja para corrigir os desvios. Não aceito nem mesmo os católicos, que na maioria das vezes são fiscais da fé, que agridem o seu Papa e seu Bispo;

Quero deixar bem claro a minha fidelidade à Igreja Católica da qual sou padre e catequizador. Amo minha Igreja desde minha infância e, vou continuar amando até minha morte.

À minha Igreja eu obedeço e permaneço fiel divulgador da sua doutrina.

Mas o que realmente o papa disse! O Monsenhor André Sampaio, nos traz à luz da verdade, sobre este assunto:

“Jornais nem sempre traduzem o que nossa Igreja diz . Espalhar notícia nem sempre é divulgar a verdade!

Eis a frase do Papa Francisco:

‘Os homossexuais têm direito a estar em família, são filhos de Deus. Não se pode expulsar uma pessoa de sua família ou tornar a vida impossível para ela. O que temos que fazer é uma lei de convivência civil, para serem protegidos legalmente’.

Ou seja, a família deve acolher o homossexual e não excluí-lo. E além disso, a lei que o Papa sugere é uma lei de proteção a essas pessoas que são abandonadas pelas famílias e até expulsas de casa. Em alguns países é possível excluir os filhos da herança. O papa fala de caridade cristã para quem está num momento muito difícil de vida. Infelizmente a imprensa não foi nada caridosa com o Papa mais uma vez, e as pessoas menos ainda.

Nenhuma confusão com casamento entre homem e mulher!

No entanto, não se deve esquecer que no parágrafo imediatamente seguinte o Papa se distancia de qualquer risco de confusão entre o casamento e as uniões civis, sublinhando que «não há base para assimilar ou estabelecer analogias, nem mesmo remotas, entre as uniões homossexuais e o plano de Deus. Sobre o casamento e a família “(AL 251)”.

Para encerrar este assunto vai aqui uma passagem Bíblica, onde Jesus nos adverte severamente: Que o nosso sim deve ser sim e o nosso não deve ser não. O resto, coisa boa não é (Mt, 5:37).

Pe. Umberto Laércio Bastos de Souza

– Reitor do Santuário de Santo Expedito –

queremos saber sua opnião
deixe um comentário